terça-feira, 4 de dezembro de 2018

Metáfora do balde de caranguejos



“Havia um homem na praia que vendia caranguejos e carregava consigo dois baldes cheios de exemplares vivos. Um dos baldes encontrava-se aberto e o outro estava tapado com uma rede.
Uma senhora, vendo aquilo, aproximou-se com curiosidade do pescador e perguntou:
– Por que razão tapou um dos baldes e o outro não?

E o vendedor de caranguejos respondeu:

– Porque vendo duas espécies de caranguejos.

- Os caranguejos de uma das espécies tentam sair do balde apoiando-se uns nos outros fazendo uma corrente, conseguindo deste modo que todos consigam sair. Por isso tenho que manter o balde tapado.

– Os caranguejos da outra espécie também tentam sair, mas sempre que um deles tenta subir, os outros por baixo dele, agarram-no puxando-o para baixo, e deste modo nenhum consegue escapar.”

Original: ana-macao-kw.pt

Na versão Brasileira da mesma metáfora:

Antigo "causo popular" conta que um Cesto com Caranguejos pode ficar sempre aberto, porque nenhum Caranguejo vai fugir. Quando um dos caranguejos tenta subir o outro o puxa para baixo. “Onde você pensa que vai? Volte para baixo que aqui é o teu lugar, eu tenho que ir primeiro, se eu não vou, você também não vai” e assim quando um caranguejo tenta fugir, aparece sempre outro puxando para baixo.

O coitado do Caranguejo que quer sair do cesto, além de tentar subir andando pra trás, ainda é puxado por outro Caranguejo invejoso, pois se não for também, que estejamos todos no buraco juntos.

segunda-feira, 19 de novembro de 2018

1930s!


Somehow our parents and grandparents, even those who passed away, crossed these places and were delighted with what they found ... Childhood touched everyone ... and childhood always finds a special way to enjoy what life provides them ...

terça-feira, 4 de setembro de 2018

A democracia das "Vacas-sagradas" ou dos "eternos" Não-eleitos.